Adri entrou em minha vida num momento em que eu estava perdida,
assustada e frustada.
Eu já havia tido contato com florais em outras ocasiões e como os efeitos foram positivos, decidi confiar minhas aflições a esse anjo que pacientemente me ajudou nesta caminhada do auto-conhecimento.
Neste trajeto tive vários altos e baixos, mas a Dri estava sempre do meu lado. Assumir que uma grande parte dos meus problemas estava ligada ao meu perfeccionismo foi o que levou mais tempo. É difícil de acreditar que uma caracteristica de deveria ser positiva estava me sufocando. O meu perfeccionismo por várias vezes me impediu de assumir desafios ou de fazer aquilo que eu queria, pois o medo e a insegurança de não conseguir fazer as coisas direito e não conseguir ser a ”pessoa
perfeita” me consumia.
Nesta caminhada de aprendizagem, descobri que nossa essência é perfeita e que a vida é um laboratório e esta ai, para acertarmos, errarmos, aprendermos com os erros e evoluirmos.
Outro ponto que pegava por causa da minha (imperfeita) perfeição era o merecimento. Por sempre estar me julgando, me exigindo e me cobrando cada vez mais, nunca me sentia merecedora das coisas, em outras palavras, não dava valor a tudo que eu tinha e eu era.
Era sempre compreensiva com as outras pessoas, mas não tinha o mesmo cuidado comigo. Os outros sempre foram prioridade na minha vida.

Nesta estrada ao lado da Adri, meus olhos aos poucos foram se abrindo. Aprendi que para poder dar algo à alguém é necessário ter. Para cuidar do outro, preciso cuidar primeiramente de mim, para amar o outro,
preciso em primeiro lugar me amar.

 

A primeira vez que esse pensamento veio à minha cabeça, minha reação foi de me chamar de egoísta. ”Como assim pensar primeiro em mim? Isso não é certo!” Mas aos pouco fui amadurecendo a idéia, lembrei de quando estamos em um avião e a aeromoça fala sobre as máscaras de oxigênio em caso de uma despressurizacão. Elas sempre colocam uma ênfase em dizer ”Coloque a máscara primeiro em você, para depois ajudar a pessoa ao lado.” Isso é egoismo?

 

Querer sobrevier para ajudar alguém? Lembrei mesmo da passagem bíblica que diz: ”Amai o próximo como a Ti mesmo”. Mais uma prova de que não é errado termos amor próprio. O Mestre está no pedindo isso.

Não digo que foi fácil chegar até aqui, o caminho da auto descoberta é longo e mais difícil ainda é conseguir colocar em prática os aprendizados. Mas com a ajuda da Dri, tudo fica simples.
Mas se eu puder deixar um conselho usaria a frase do grande Lulu Santos:”Vamos viver tudo que ha pra viver. Vamos nos permitir” nos amar, nos cuidar, nos merecer. ”Pois não ha tempo que volte…” A vida é muito curta para vivermos de máscacas e escondermos quem somos de verdade para agradarmos os outros. As pessoas que nos amam de verdade estarão sempre do nosso lado, irão continuar nos apoiando e nos amando. Posso dizer com toda certeza que hoje eu me sinto… leve.

Adriana Souza é Coach de Corpo e Alma e Especialista em Florais de Bach.