Em meio a tanto ódio e preconceito despejado nas últimas semanas, venho te dizer algumas palavras de amor, que estão engasgadas aqui na minha garganta, no meu peito e na minha alma.

Fiquei muito feliz em ver meus posts no Facebook, onde eu tentei falar de compaixão nesses dias, serem tão compartilhados! Eu apenas expressei o choro da minha alma, e de verdade, sem pretensão nenhuma que alguém fosse se comover com aquilo. Pra minha surpresa, muitas pessoas gostaram e dividiram seu amor comigo. E então eu percebi, o mundo está muito mais sedento de AMOR do que eu imaginava.

Algumas pessoas me escreveram, despejando um pouco mais do seu ódio guardado, dizendo que eu não posso me proclamar nada, pois moro fora do Brasil.

Eu não espero que as pessoas entendam isso! De maneira nenhuma! Por isso estou em paz, como digo aos meus pacientes: o que nós sentimos somente nós precisamos compreender, mais ninguém! Minha função não é convencer as pessoas do que eu sinto, mas espalhar meu amor…. e que esse amor estimule a reconexão com a essência perfeita que existe dentro de cada um.

Eu moro no Canadá ha 3 anos, e se você já deu uma fuçadinha aqui no meu site, você provavelmente leu a minha história e viu que não foi nada fácil chegar até aqui, como não foi fácil durante a minha adaptação, e como não é até hoje! O fácil depende da nossa percepção das coisas, e eu sou extremamente grata a tudo o que vivi!

O que mais me deixou triste… mas triste MESMO nessas últimas semanas, foi ver a intolerância gritando em forma de palavras escritas. E me doeu mais pois dentre essas muitas pessoas, boa parte eram amigos queridos, familiares…. pessoas que são extremamente importantes em minha vida, que eu amo, mas que estavam agindo de uma maneira extremamente cruel.

Mas agora, eu gostaria de refletir…

Será crueldade ou cegueira?

Eu não falo de cegueira sobre a escolha política, não! Não vou entrar nesse assunto!!! Eu falo de cegueira por passar imagens, calúnias, preconceitos… de uma maneira não analítica. Simplesmente repetindo o que ouvimos…

Uma das coisas que mais me choca nesse preconceito todo é nos separarmos como se estivéssemos em uma guerra!

NĀO ESTAMOS!

Eu sou de São Paulo, e em SP temos uma mistura lindíssima de cultura, gente de cada canto do Brasil, e de cada canto do Planeta. Eu sempre amei essa mistura, sempre tive curiosidade para entender a cabeça das pessoas de acordo com cada cultura, mas mesmo morando em SP a vida toda, eu não tinha tantas conexões diferentes.

Quando vim para Montréal, eu fui “obrigada“ a me misturar nessa bola de inclusão! E eu aprendi DEMAIS com isso, aprendo até hoje! Dessa vez não era eu quem precisava acolher quem vinha de fora, dessa vez era EU a acolhida! E eu fui muito bem acolhida pelos canadenses. Eu fui também muito bem acolhida por meus novos amigos, colegas de trabalho de diversos países diferentes. Aqui, a expressão “Somos todos Um“ faz todo o sentido.

Mas… pra mim o mais interessante nem foi isso! Foi o fato de encontrar brasileiros de cada canto. Do Sul, do Sudeste, do Centro-Oeste, do Norte e do Nordeste. Em cada uma dessas regiões os humanos são IGUAIS! Nessas regiões existem pessoas que estudam, que estudam muito! Que acordam as 5 da manhã. Outras que acordam as 11 (e eu não sei onde isso seria um problema). Pessoas que se deram bem na vida, outras que tiveram e têm mais dificuldade em obter as coisas. Enfim, cada um dos BRASILEIROS que hoje são meus amigos, que passaram na minha vida aqui no Canadá, foram FUNDAMENTAIS para me ensinar algo que eu poderia ter aprendido na minha cidade natal! Que somos todos iguais em essência! Que ter objetivos e percepções diferentes não nos fazem certos ou errados! Que respeito é algo obrigatório! E compaixão também! Que cada cidade do Brasil é única, incrível, maravilhosa… que generalizar pessoas de acordo com o que lemos nas revistas é a maior prova de ignorância que podemos ter. Que não se conhece um povo ou uma região por ir passear lá nas férias! Cultura não é ter dinheiro ou estudo, cultura é simplesmente cultura! Se você tem muito dinheiro, é viajado, estudado, mas não tem nenhum senso crítico em compreender uma nação multicultural, isso não faz de você uma pessoa culta!

Enfim, eu ficaria aqui horas e horas falando! Mas quero apenas pedir UMA coisa:

Sabe naquele momento, em que vestimos a camisa amarela e vamos para o bar com os amigos, chorar por nosso país, no jogo da seleção? Pois bem…. vista essa camisa amarela em sua ALMA! Não precisa ter o trabalho de morar fora (se quiser, tenha essa experiência também, mas não pense que ela será “só rosas“!), você pode compreender isso buscando o amor incondicional que existe dentro de você!

Eu não digo para irmos contra nossos ideais, NÃO! Digo para nos unirmos, pararmos de tentar convencer o outro, enfiar guela abaixo as nossas crenças. Faça o que você julga correto, mas deixe o outro ter o mesmo direito de escolha! E lembre, o BRASIL é tão seu quanto meu! Somos todos filhos da mesma pátria! Eu precisei imigrar para compreender esse amor, mas conheço muitas pessoas que nunca saíram de sua cidade natal e conseguiram compreender essa definição!

Que sua essência esteja conectada com sua mente, e que você possa pelo menos sentir esse amor brotando…. sei que existe amor dentro de você em tudo o que você faz! Mas gostaria que você experimentasse a sensação de amor incondicional, que significa respeitar outros pontos de vista sem querer mudá-los!

Um beijo enorme!

Paz, luz e muito amor!

Adriana

uncongr

Imagem: janosh.com – Amor incondicional

Adriana Souza é Coach de Corpo e Alma e Especialista em Florais de Bach.