Meus amados, esse é um grande desafio, não é mesmo?

A maioria de nós tem consciência que, não somos obrigados a conviver com quem não amamos, e que afinidade é algo que não se escolhe, se sente!

Mas na prática, quando nos deparamos com situações desconfortáveis, quando precisamos conviver com essas pessoas de baixo grau de afinidade, nosso Ego grita, e a Alma quer sair correndo dali!

Calma, calma!!!

Trouxe aqui nesse post dois materiais lindos!

Esse vídeo maravilhoso do Arly Cravo:

E uma lista maravilhosa, que minha querida amiga Carol me permitiu usar, com toda a sua generosidade!

Vejam…

  • Durante uma conversa, mantenha a consciência de quem você é, o que quer e o que não quer. Sinta seus pés no chão, mantenha-se calma e neutra à negatividade alheia. Pense antes de falar, evitando disparar reações automáticas, mantenha o controle emocional e o discernimento.
  • Não se deixe “contaminar” pelo astral do outro. Não entre na frequência vibratória desta pessoa.
  • Não reforce ou revide o mau humor. Se você disse “Bom dia” e não ouviu resposta, simplesmente siga em frente. Não cobre, não questione.
  • Caso você não consiga manter o equilíbrio e acabe ficando alterado, com vontade de esganar o sujeito, relaxe com a terapia da risada: ela é ótima para amenizar situações de tensão e raiva (levar a vida com mais leveza). Se você conseguir digerir a grosseria, nada mais poderá abalar você!
  • Foque na ideia de que o relacionamento com pessoas que parecem atrapalhar nossa vida nos traz uma grande oportunidade de auto-aperfeiçoamento.
  • Exerça a gratidão às “pessoas difíceis” de nossa vida, pois elas nos ajudam a crescer.
  • Evite comentar a indelicadeza alheia. Fofoca é ruim sempre.
  • Esqueça a grosseria alheia. Quanto mais você lembrar e comentar o ocorrido, mais vai se irritar com ele, e a ideia é não remoer o pensamento, nem o sentimento.
  • Não critique e não julgue. Perdoe. Se a pessoa não parece bem, é possível que ela esteja de fato com algum problema que ninguém está sabendo.
  • Dê espaço. Se a pessoa estiver mal humorada por um problema e quiser falar a respeito, ela tomará a atitude.
  • Claro que tudo tem limite. Se a situação ficar difícil, você pode responder em tom mais ríspido. Se a grosseria for muita, você pode dizer que prefere conversar em outro momento e, principalmente, em um tom mais adequado.
  • Não se sinta intimidado com nada que essa pessoa faça ou diga, só para o faz sentir-se mal. Permaneça firme e olhe-a bem nos olhos. Faça-a ver a sua insatisfação. Você não tem que se sentir pressionado por alguém que, claramente, não é sensato.
  • As pessoas arrogantes comportam-se e pensam que sabem tudo. Esse é o seu principal problema. Diga-lhe o que você pensa, liberte o que tem para lhe dizer. Ela pode nem ouvir os seus conselhos ou sugestões, optando por continuar a sua arrogância. Mais cedo ou mais tarde, quem acaba por sofrer as consequências é ela, não se preocupe.
  • Ignore essa pessoa sempre que puder. Não se deixe aborrecer e faça-a ver isso mesmo. Eventualmente, essa pessoa arrogante vai perceber que não o consegue derrubar e irá perder cada vez menos tempo a chateá-lo.

Um beijo no coração de vocês, e me contem o que acharam!!!!

Adriana Souza é Coach de Corpo e Alma e Especialista em Florais de Bach.